28 de Julho – 34 Anos da Homenagem Póstuma ao Senador Nilo de Sousa Coelho

Em 28 de Julho de 1984 o Projeto de Irrigação passou se chamar Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho, em homenagem póstuma ao líder e idealizador deste empreendimento.

“A vida de Nilo Coelho nos orgulhou e nos deu esperanças. Ganhamos pedaços autêntico de uma bravura cívica que tinha paixão pelo trabalho e pela esperança do futuro, no dinamismo sadio de sua crença arrojada de homem público.

Era impetuoso. Nos dias da juventude e na serenidade madura da experiência dos homens e das coisas que a vida lhe deu. Personalidade marcante. Sabia o que queria e queria sempre o melhor, não egoisticamente, e sim para a comunidade que representou, em inúmeros mandatos, com altivez, dedicação e desvelo. Não poucos foram os grandes lances de sua vida pública, onde a afirmação genuína e altiva mostrou, sem qualquer sombra, o caráter reto e o compromisso com o bem comum. Nisto, ninguém o excedeu.

O poder, nas suas mãos, era forma de servir, de repartir o bem, disseminando-o por todas as camadas sociais. Sabia ser simples e gentil com os simples. Comunicativo com todos. Mas reagia sempre na defesa da autoridade de que se encontrava revestido.

Afável de temperamento, exuberante nos gestos, manifestava muitas vezes, também, e sempre que era necessário, o travo do humor ferido ou não compreendido. Tinha o gosto da vida e sabia transmiti-lo com entusiasmo. E nisto era um doutrinador. Um experiente em transmitir imagens vivas de um colorido interior que lhe marcava o ser e se exteriorizava na largueza dos gestos. Não acreditava em miséria, para submeter-se a ela. Lutava para vencê-la e para proporcionar à sua região pobre os sonhados melhores dias. Transformou-se em arauto da prosperidade, do bem-estar e do desenvolvimento, com o testemunho, inclusive, das atividades empresariais de sua família. Desenvolvimento era a grande linha mestra de sua ação na vida política e privada, onde quer que se encontrasse, pregando, sempre, a redenção regional. Bem nascido, mas não desvinculado da realidade em que sempre viveu, cuidava, com afinco, de lançar ideias capazes de mudar estruturas tão adversas e viciadas. Era confortador vê-lo falar de sua Petrolina, com os projetos de irrigação, da região do São Francisco, de Pernambuco e do Nordeste, para o qual já deveria ter havido a decisão política de prioridade por parte do Governo da República. Este, seu pensamento.

Uma de suas características era não ter medo de manifestar o que pensava. Era uma questão de fidelidade a si mesmo. E nem se deixava iludir pelos que não cultuavam a verdade.

Revelou-se líder, muito cedo, e o foi, de fato, não pelo desejo do mando, senão pelo coração, que cativava amizades, pela confiança estampada no semblante, pela seriedade no trato dos problemas, pelo compromisso com a causa do bem comum. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *